O que é a lente de contato dental?
As lentes de contato são trabalhos estéticos onde se cobre apenas a frente do dente, chamada região vestibular. Atualmente, o material utilizado é o dissilicato de lítio, muito mais resistente que as porcelanas tradicionais e por ser mais resistente, essa técnica pode ser feito em várias espessuras, inclusive as extremamente finas, que receberam o nome de lentes de contato.
Um dos grandes avanços que ocorreu nas lentes de contato, além do material em si, foram os produtos para colagem das mesmas. Os agentes de união entre dente e o dissilicato de lítio (lentes de contato dental) são extremamente eficientes, o que dá muita segurança aos profissionais e pacientes.

Dentes que necessitem de uma alteração muito grande em relação a cor ou posicionamento precisam receber desgaste um pouco maior no dente antes de realizar o procedimento.

Indicação para o uso das lentes de contato dental
As lentes de contato dentais são indicadas para pacientes que têm dentes com:

formato inadequado
cor indesejada
tamanho irregular ou para correção da posição dos dentes.

Ou seja, as lentes são indicadas para quase todas as necessidades de alteração da estética dos dentes, com a grande vantagem que o desgaste é leve ou até mesmo desnecessário e apenas na parte da frente (região vestibular) do dente.

Saiba mais: Clareamento dental: tire suas dúvidas antes de fazer
Antes, era necessário desgaste total dos dentes e muitas vezes o desgaste era tão grande que era indicado realizar o tratamento de canal antes de se iniciar o tratamento, para que não houvesse risco de aquele dente posteriormente doer e o trabalho ser perdido.

O que preciso saber antes de optar pelo procedimento?
É muito importante ressaltar, que apesar da maioria dos artigos sobre lentes de contato voltados ao público leigo afirmarem que não existe necessidade de qualquer tipo de desgaste do dente ou que existe um desgaste minimamente invasivo, a ausência de algum desgaste nos dentes é na verdade a minoria dos casos.

Apesar de as lentes de contato serem extremamente finas, se for acrescentado algo na frente de dentes bem posicionados sem realizar nenhum desgaste, em minha opinião, corremos o risco de ficar com o lábio à frente e uma impressão de que os dentes “saltaram”. Na boca, qualquer diferença de milímetro passa a sensação de uma diferença enorme.

O desgaste pode ser realmente leve, ele é realizado apenas na parte da frente do dente, mas depois de realizado, não tem volta. Os resultados são fantásticos, os pacientes ficam extremamente satisfeitos.

 

Decidi colocar a lente de contato dentária, qual o próximo passo?
De modo geral, o paciente vai ao consultório para a primeira consulta, onde procuro saber o motivo da consulta e o que gostaria de alterar em seus dentes. Com essas informações, é possível fazer uma avaliação geral da boca e observar o que ele necessita do ponto de vista profissional e a possibilidade de se obter o que ele deseja.

Em seguida, o profissional faz uma moldagem, que pode ser através scanner bucal ou pelo método tradicional e as alterações necessárias nos dentes são feitas através de um programa de computador ou pelo protético, que faz os dentes em cera, no modelo do paciente e chamamos de enceramento diagnóstico.

Se for realizado pelo protético, que ainda é um excelente método e o mais comum, copiamos os dentes em cera e os reproduzimos em resina bisacrílica (citada anteriormente) na boca.Se for realizado através de scanner bucal, fazemos as alterações dentárias no computador e fazemos os dentes em resina, através de uma impressora 3D.

Tudo visualizado, discutido e chegando a um consenso de que aquela cor, formato, tamanho e posição estão perfeitos, passamos a fase de preparar os dentes.

Esta parte ainda é tradicional, não houve avanço em uma tecnologia que substitua o motorzinho, fato que me surpreende quando falamos que em pouquíssimos anos, quase todos os trabalhos serão feitos através de programas de computador.